Entrevista de emprego: as 28 perguntas e respostas mais comuns + dicas para mandar bem!

Você já foi a mil e uma entrevistas de emprego, mas não conseguiu ser convocado para a vaga que tanto deseja ou, pior que isso, nunca entendeu por que, afinal de contas, não se saiu bem nos processos seletivos, mesmo tendo o perfil ideal para a empresa? Então, esse post é para você!

A entrevista de emprego é uma fase do recrutamento de empresas que apavora muitas pessoas, especialmente as que sofrem com nervosismo e timidez, que, por conta da tensão, acabam não transmitindo uma boa imagem pessoal e profissional ao entrevistador e até colocar em xeque o seu potencial.

No entanto, as entrevistas orais são de extrema importância em ambientes corporativos, uma vez que é ali que o empregador pode traçar o perfil comportamental e profissional do candidato para não cometer o erro de contratar um funcionário ruim no futuro e arruinar os seus negócios.



Portanto, não tem para onde fugir! Lidar com a tensão e ansiedade – que são comuns e podem aparecer em qualquer pessoa que esteja se preparando para procurar um trabalho ou qualquer outro objetivo de vida que seja importante para si – é algo que deve ser dominado antes de sentar na temida cadeira para a conversa com o recrutador.

E a boa notícia é que, apesar de parecer o fim do mundo, passar em uma entrevista de emprego não é um bicho-de-sete-cabeças e, sim, você pode fazer isso aprendendo, de fato, como ela funciona, quais são as perguntas e respostas mais comuns em um processo seletivo e quais as melhores dicas para mandar bem e convencer o recrutador de que você é o melhor profissional para aquela vaga.

Pensando nisso, no nosso artigo de hoje, você vai conferir as melhores dicas para se comportar em uma entrevista de emprego e quais as perguntas e respostas mais comuns em um processo seletivo para chegar 100% preparado, impressionar e finalmente conseguir o emprego que tanto sonhou!

Vamos lá?

16 melhores dicas para mandar bem em uma entrevista de emprego e sair contratado

Lembre-se que, em uma entrevista de emprego, você ficará frente a frente com o recrutador e terá pouco tempo para impressioná-lo e conseguir a vaga que tanto deseja.

Então, estude as 10 dicas que nós vamos ensinar a seguir para se sair o melhor possível em todas elas, que incluem controlar o nervosismo, ficar atento à sua postura e fala, além de responder as perguntas objetivamente, para mostrar ao entrevistador que você tem o perfil, habilidades e objetivos para a empresa. Anote aí:

1 – Prepare a memória antes

Ninguém merece chegar despreparado para uma entrevista de emprego. Até porque, se fosse o contrário, você também não contrataria alguém que não sabe responder às suas perguntas ou ‘não se lembra’, concorda? Afinal, um candidato que nem ao menos se preocupou em se preparar para o processo seletivo antes, quem dirá se vai ter responsabilidade para assumir o então cargo na empresa.

É assim que os recrutadores pensam… Então, dias antes de ir conversar com ele, repense os fatos mais importantes da sua vida profissional. Enquanto faz isso, selecione e avalie pelo menos 5 à 10 situações e o papel que você desempenhou em cada uma delas.

Pense quais foram as lições ou habilidades que você aprendeu, os desafios que conseguiu contornar, entre outras coisas, tentando, ao mesmo tempo, traçar o seu perfil profissional para o caso de ele perguntar. De acordo com as suas experiências, você apresenta maiores competências de liderança, trabalho em equipe, resiliência, comunicação, etc? Vá preparado para a entrevista e não em como fazer feio!

2 – Se não tiver experiência, pense em outras competências

Não precisa ficar nervoso se você nunca trabalhou na vida. A dica para quem está procurando o primeiro emprego e não tem experiências profissionais, e muito menos com entrevistas, pode pensar em citar outras habilidades e competências que você obteve ao longo da vida que podem te qualificar, tais como situações na vida escolar ou em família e como resolveu cada uma delas, para que o recrutador tenta traçar o seu perfil.

Neste sentido, vale citar tudo: trabalhos que desenvolveu em grupo na faculdade ou escola, intercâmbio, viagem com os amigos e até a festa ou evento que você organizou.

Veja também:

3 – Apresente um bom currículo

O desenvolvimento positivo de uma entrevista de emprego começa, primeiramente, pela apresentação de um currículo, que será o documento condutor das principais questões que serão abordadas na conversa com o entrevistador. Por isso, em vez de enchê-lo de informações e apenas listar as suas experiências em empresas, atividades exercidas, conhecimentos e habilidades, aproveite para informar também os significados que elas tiveram na sua vida profissional.

Veja aqui:

4 – Aposte no método “estrela”

Você já ouviu falar do método STAR , ou “estrela”, em português? Trata-se de uma estratégia que pode ser aplicada durante entrevistas de emprego para você não esquecer de falar nenhum ponto que deseja na conversa com o recrutador.

Aqui, STAR é um acrônimo para as palavras Situação-Tarefa-Ações-Resultado e refere-se à ordem que você pode usar para contar a sua história ao entrevistador. Ela serve para estruturar cada caso que irá contar e dar uma sequência lógica às suas conquistas profissionais.

Portanto, se você não tem a memória tão boa e quer fugir dos terríveis “brancos” causados pelo nervosismo, pode recorrer à essa técnica.

5 – Sempre termine as falas de forma positiva

Pense em terminar cada frase que disser com chave de ouro quando estiver respondendo às perguntas do recrutador, sempre com algo positivo em relação às suas experiências. Por exemplo, você pode contar a sua trajetória em determinada empresa e concluir o raciocínio dizendo que foi promovido ou destacando algo importante que fez na conclusão dos projetos.

A ideia é sempre direcionar a conversa com o entrevistador para outros assuntos positivos. Até porque, se você terminar a frase falando sobre uma demissão, provavelmente, ele perguntará o por que você foi demitido e, portanto, seguir com outros assuntos negativos, o que pode acabar abrindo uma desvantagem para você em relação aos demais candidatos à vaga desejada.

6 – Tente não paralisar diante de algumas perguntas

Cada entrevistador tem uma pergunta que usa como “carta na manga”, que é aparentemente absurda ou muito difícil, para tentar te testar, “quebrar o gelo” e observar a sua reação, bem como a dos demais candidatos.

Neste caso, vale lembrar que não existe uma resposta certa ou errada, então não tem o que temer. O que vai importar diante dessa pergunta é a percepção que o entrevistador terá da sua reação diante da resposta, independente de qual ela seja. Qual a melhor dica? Evitar o famoso “sorrisão amarelo” e ficar sem graça porque não faz ideia do que vai dizer e, sim, apostar no bom humor para driblar a tensão.

7 – Demonstre raciocínio lógico durante a entrevista

Algumas empresas costumam apostar em entrevistas com perguntas um tanto esquisitas para testar o raciocínio lógico dos candidatos, como é o caso das mais modernas, como o Google, ou bancos de consultorias e investimento. Algumas delas são “quanto pesa uma girafa”, “quantos McDonald’s existem em São Paulo ou, ainda, “quantas bolas de gude cabem em um avião”.

Podem parecer engraçadas na hora, mas não caia na pegadinha, pois você pode estar sendo testado. Portanto, caso você se encontre em uma situação desse tipo, tente demonstrar capacidade de estruturar o seu raciocínio para dar uma resposta lógica.

Ela não precisa necessariamente estar correta, mas apenas ser inteligente.

Uma dica, por exemplo, é usar regra de três para chegar a esse tipo de resposta. No caso da pergunta do McDonald’s, você poderia responder à pergunta da seguinte forma: “Na minha cidade, que tem X moradores, existe um número Y de McDonald’s. Logo, se São Paulo tem 3 vezes o número de habitantes da minha cidade, pode ser que haja 3 vezes a quantidade de McDonald’s que existem na minha cidade”. Entendeu bem?

8 – Estude o perfil da empresa

Já se deparou com aquela famosa pergunta “por que você quer trabalhar aqui?” e não soube o que responder? Pois bem! Para os recrutadores, esse é o perfil de candidato que não estudou bem a empresa que está ofertando a vaga antes de sentar na cadeira para a entrevista de emprego. Afinal, esse questionamento pode parecer bobo, mas ela tem como único objetivo encontrar um profissional que possua valores alinhados aos seus.

Por isso, antes se dirigir até a conversa com o entrevistador, faça a lição de casa! Pesquise tudo o que puder sobre a firma, desde as características de gestão, setor de atuação, desafios, dados financeiros, concorrência, entre outros pontos.

Neste sentido, na hora de responder, evite também falar aqueles clichês típicos de quem confunde empresa com marca: “Sou consumidor da marca desde a infância e sempre sonhei em trabalhar com vocês”. Por mais que você seja fã da marca, o recrutador quer saber o que você acha de outros pontos relacionados à companhia, como os mencionados acima, por exemplo.

9 – Aproveite-se da boa linguagem corporal

Pode não parecer, mas a linguagem corporal pode fazer toda a diferença em uma entrevista de emprego – para melhor, quanto para pior. Então, além de evitar alguns gestos que revelam nervosismo, tais como mexer os braços exageradamente, balançar as pernas, tamborilar os dedos, passar as mãos nos cabelos, arregalar os olhos, roer as unhas, entre outros.

Em vez destes, opte por tentar passar uma boa linguagem corporal, mostrando-se confiante e seguro. É o caso da chamada power posing, técnica na qual a especialista Amy Cuddy descobriu que ter uma postura confiante potencializa as chances de sucesso em várias situações sociais, inclusive em uma entrevista de trabalho.

E você vai ficar surpreso em saber que essa “pose de poder” pode ser fingida, caso você esteja se sentindo inseguro.

10 – Identifique o perfil do entrevistador

Outra dica preciosa para se dar bem em uma entrevista de emprego é saber identificar qual é o estilo e personalidade do recrutador. Se na vida social, a similaridade nos faz “agradar” algumas pessoas, você pode fazer o mesmo em um processo seletivo, buscando se adaptar à abordagem da pessoa que está o entrevistando. Alguns entrevistadores costumam ser mais formais e sisudos, mas existem outros também que são adeptos a uma conversa mais coloquial e descontraída. Então, vale a pena observar e identificar esse perfil o quanto antes durante a entrevista para se adaptar a ele e contar pontos a seu favor.

Mas, lembre-se que isso não tem nada a ver com mudar a sua personalidade ou mentir, mas apenas tentar tornar o bate-papo agradável com o seu recrutador.

 11 – Faça boas perguntas

Por mais que as pessoas pensem que ir a uma entrevista de emprego seja apenas responder a uma sessão de perguntas do recrutador, a verdade é que você também não só pode como deve fazer perguntas a ele também. Neste caso, você pode apostar em questões em que demonstrem seu interesse pela vaga e, também, que você pesquisou informações sobre a companhia.

Mas tome cuidado para não dar um “tiro no próprio pé”! Lembre-se de fazer perguntas inteligentes e que não poderiam respondidas com uma simples pesquisa na internet. Se você está concorrendo a uma vaga de trainee, por exemplo, pergunte quantos a empresa teve no programa anterior, quantos continuam o trabalho junto à firma e quantos conseguiram cargos mais altos.

12 – Evite mentir

Jamais minta em uma entrevista de emprego, mesmo que seja sobre algo que considere só uma “coisinha” sem importância. Não se esqueça que você estará diante de uma pessoa treinada para perceber qualquer tipo de deslize, através de técnicas que detectam indicadores de comportamento que mostram quando um candidato está mentindo.

Afinal, você não acha que poderia enganar um recrutador que passa o dia inteiro entrevistando pessoas e alguns até com anos de experiência na área, não é mesmo?

13 – Seja você mesmo (a)

Para evitar qualquer mentira ou outros deslizes que possam atrapalhar a sua entrevista de emprego e tornar a conquista da vaga cada vez mais distante, a dica é ser você mesmo ao participar de um processo seletivo. Por mais que você esteja nervoso, sob pressão e ansioso, você se destacará entre os outros candidatos pela sua individualidade, colocando-se de forma autêntica e genuína na conversa.

14 – Vá com roupas confortáveis

O erro mais comum cometido por candidatos em entrevistas de emprego é vestir roupas com as quais não se sentem confortáveis, agindo como se estivessem usando fantasias. Lembre-se que nem sempre um terno ou vestido social com salto são regras para participar de um processo seletivo.

Hoje em dia, existem muitas empresas modernas que permitem um visual mais informal para o trabalho. Então, neste caso, pesquise bem sobre a empresa e o cargo desejados para não chegar com o traje inadequado.

Na dúvida, opte por usar uma roupa que tenha a ver com a área de atuação da firma e que você se sinta confortável, principalmente. Além disso, as peças também precisam estar bem cuidadas e, de preferência, em formas mais simples e cores mais neutras.

15 – Não se esqueça de caprichar na comunicação

Esse é um dos pontos cruciais para se sair bem em uma entrevista, apesar de muitas pessoas se esquecerem disso. Inclusive, sem uma boa comunicação, você pode colocar a perder todas as demais dicas anteriores. Portanto, se você for uma pessoa que tem dificuldades neste sentido, procure treinar antes para não fazer feio na hora de conversar com o instrutor.

16 – Demonstre confiança

Muitos estudos já comprovaram que candidatos que se mostram confiantes durante uma entrevista de emprego possuem melhor desempenho e se destacam na visão do recrutador, aumentando as suas chances de conseguir a vaga.

Portanto, se você está se sentindo inseguro, mesmo sendo o profissional perfeito para o cargo que está sendo ofertado pela empresa, prepare-se buscando técnicas que te façam sentir poder para mandar bem no processo seletivo. Muitas dessas dicas de empoderamento você pode encontrar facilmente em livros e na internet.

28 perguntas mais comuns em entrevistas de emprego (e as melhores respostas para ganhar a vaga!)

É claro que cada processo seletivo demanda perguntas e respostas para uma vaga em específico, dentro de uma empresa e ramo de atuação também particulares. No entanto, existem algumas que são consideradas “curingas” dentro de qualquer entrevista de emprego e que você pode estudar para entender o que o entrevistador, de fato, quer saber de você.

Algumas são mais difíceis que outras, mas não há nada que você não consiga responder com um bom estudo e esforço. Vale lembrar que a ideia aqui não chegar dar a você uma resposta já pronta e decorada, porque isso pode prejudicar o seu desempenho na conversa com o recrutador.

Mas sim, mostrar quais são as perguntas mais feitas nestes casos e te ensinar a entender o que ele está querendo saber com elas. Assim, você poderá pensar em uma forma de estruturar a sua fala para, então, conseguir mostrar que é o candidato ideal para o cargo em questão.

Veja também: Perguntas Comuns em uma Entrevista de Emprego

1 – “Fale um pouco sobre você”

Quase sempre, essa é a primeira pergunta com a qual o entrevistador gosta de dar início à conversa que irá te avaliar em uma entrevista de emprego. Neste momento, você pode aproveitar para mostrar a sua boa comunicação, com uma fala clara, organizada e consciente.

Aproveite também para dar as melhores informações acerca da sua experiência pessoal e profissional, que servirão para complementar as que já estão no currículo que você entregou ao recrutador. Fale, por exemplo, quais os cargos que mais gostou de ocupar em empresas, conta algum episódio relevante da sua trajetória profissional que tenha relação de alguma forma com o cargo pretendido, demostre ser uma pessoa que tem metas a curto, médio e longo prazo, fala de atividades ou hobbies com entusiasmo, etc. Tudo isso ajudará a mostrar o seu perfil de maneira positiva já no início da entrevista.

Nesta mesma pergunta, evite falar desenfreadamente ou contar detalhes da sua vida pessoal. Com esse tipo de atitude, você pode acabar parecendo inconveniente e até falar algo que o prejudique sem querer.

2 – Como você ficou sabendo da vaga?

Essa pergunta não é tão comum quanto outras que vamos mencionar neste artigo, mas é importante você ficar preparado para respondê-la para não ser pego de surpresa. Portanto, se você soube da vaga por um amigo que é funcionário da empresa, fale sem receio e complemente contando o quanto você ficou animado quando ele falou sobre a vaga.

Diga sempre a verdade. Se viu a oportunidade de trabalho em um site, como é o caso do vagas.com.br, fale que foi atraído por um anúncio interessante que o levou a se candidatar à vaga.

3 – Você está procurando vagas em outras empresas?

Se a sua resposta para essa pergunta for sim, seja sincero, apenas. Afinal, com ela, ele quer medir também o seu nível de interesse no segmento em que a firma atua. Então, fale a verdade, contando que está em busca de outras vagas semelhantes dentro da área.

Aproveite este momento para dizer também que está interessado no segmento porque todas as vagas que você está procurando possuem requisitos em comum que lhe conferem a possibilidade de usar algumas habilidades e competências que você tem.

4 – O que você sabe sobre a empresa?

Trata-se nada mais nada menos que a tarefa de casa mais importante antes de uma entrevista de emprego. Mas engana-se quem pensa que é só repetir o que leu na página “Sobre nós” ou “Quem somos” da empresa.

Com essa pergunta, o recrutador quer saber o quanto você está alinhado à firma. Portanto, se você se esforçar um pouco para estudar o negócio, pode ganhar alguns pontos a mais em relação a outros candidatos. Para isso, uma excelente estratégia para responder a essa pergunta é aproveitando para mostrar que você está ciente dos objetivos da empresa.

Procure usar frases ou palavras-chave que você viu no site, mas relacionando o assunto para algo pessoal. Não entendeu? Vamos a um exemplo simples: fale que você se sentiu atraído pela missão da firma porque (motivo pessoal relevante)… Ou que você realmente acredita nessa abordagem porque (motivo pessoal relevante)… Tudo isso pode te ajudar a se destacar entre os outros candidatos quando o recrutador fizer essa pergunta.

5 – Quais são os seus defeitos?

É uma pergunta que traz medo e receio para muita gente, já que falar de características negativas não parece algo muito bom e que pode colocar a perder a vaga desejada.

No entanto, essa pergunta pode ser respondida de maneira simples, sem arrependimentos, se você souber como contornar a situação ao mencionar um defeito seu. A maioria das pessoas tende a responder com clichês, como citando defeitos que podem ser, na verdade, qualidades, tais como senso de urgência ou ser perfeccionista.

Porém, para quem está pensando em fazer isso, é bom saber que o entrevistador pode perceber que você quis dar respostas genéricas e acabar optando por fazer o candidato falar sobre outros defeitos, até encontrar a resposta que quer ouvir.

Por isso, a dica é responder pensando realmente em algum comportamento que você perceba que possui e que pode ser prejudicial na sua rotina ou dentro de uma empresa. Mas não é só isso, é claro! Neste momento, conte também como você encontrou uma solução para que as consequências desse defeito seja o menor possível no seu dia a dia.

Se você é uma pessoa tímida, por exemplo, opte por falar que melhorou bastante depois de fazer teatro.

6 – Quais são as suas qualidades?

Da mesma forma que você fez ao falar dos seus defeitos, agora você também pode ser bem sincero e mostrar ao recrutador quais são as suas qualidades e, é claro, aproveitando a oportunidade para se destacar entre os demais candidatos que estão concorrendo à vaga. Para isso, é importante chegar 100% preparado para a entrevista de trabalho em questão.

Antes de sair de casa, pense bem em quais são as suas melhores características pessoais e profissionais, inclusive tentando definir quais dessas qualidades são interessantes para o cargo que você está pleiteando. Para uma vaga comercial, por exemplo, o ideal é destacar o seu poder de persuasão, comunicação e empatia.

Mas lembre-se: o mais importante neste momento é ressaltar os seus pontos fortes verdadeiros, e não aqueles que você imagina que o entrevistador deseja ouvir de você. Se você sente que possui habilidades com pessoas, por exemplo, opte por dizer que tem uma ótima comunicação persuasiva ou que é bem dotado da habilidade de construir relacionamentos, dando exemplos reais de como você poderia aplicara essa qualidade dentro da empresa.

7 – Como e onde você se imagina daqui a 5 anos?

Ao fazer esse tipo de pergunta, o recrutador tem o intuito de entender o seu objetivo de vida e se este é compatível com o que a empresa pode oferecer em relação ao cargo que você está concorrendo. Por exemplo, se a vaga em questão exigem um grande investimento da firma em treinamento e um candidato diz que pretende cursar um MBA em cinco anos no exterior, ele pode ser eliminado por conta da incompatibilidade.

Além disso, ao falar sobre onde e o que estaria fazendo daqui a cinco anos, você mostra que tem visão e capacidade de traças metas a curto, médio e longo prazo. Por isso, neste momento, é essencial que você dê respostas firmes e mostre “pé no chão”. Evite falar de sonhos dos quais ainda não estipulou prazo ou planejamento para torná-los realidade.

8 – Você trabalha bem sob pressão?

Com a chegada da era digital e todo o seu imediatismo, muitas empresas incluem esse tipo de pergunta durante as entrevistas em seus processos seletivos para testar os seus candidatos, uma vez que essa nova fase também influencia o mercado de trabalho, principalmente no que diz respeito destas focarem em treinar os seus funcionários a trabalharem com constante pressão e prazos curtos.

Sendo este um quesito importante atualmente, ao sentar-se para conversar com o recrutador, evite responder a esta pergunta como um simples “sim”. Em vez disso, opte por falar sobre situações de pressão pelas quais já passou em empresas anteriores, compartilhando experiências e contando como desempenhou um bom trabalho para contornar essas situações.

Caso você nunca tenha trabalhado antes, vale compartilhar os tipos de situações em que trabalhou sob pressão em casa ou trabalho na faculdade, por exemplo.

9 – Como você reage à críticas?

A partir dessa pergunta, o que você precisa ter em mente é que o recrutador quer saber mais sobre a sua personalidade. Portanto, a dica é apostar nas atitudes que você tomou ao longo da sua vida profissional diante das críticas que já recebeu.

Neste caso, pense bem a respeito e busque uma situação em que, de preferência, você se saiu bem.

Conte como você lidou com a crítica em um determinado momento dentro da empresa anterior e como resolveu o problema.

10 – Por que quer este trabalho?

Não importa o ramo: toda empresa está em busca de profissionais que sejam apaixonados pelo trabalho. Até porque um funcionário satisfeito também faz um dono satisfeito.

Portanto, levando isso em consideração, trate de responder a essa pergunta buscando identificar alguns fatores-chave que o tornam o candidato perfeito para aquela vaga.

Por exemplo, se a vaga em questão é para atendimento ao cliente, diga que ela é perfeita para você porque gosta de interagir com pessoas e, principalmente, ajudá-las a resolver algum problema. Outra estratégia que pode dar certo é associar o principal serviço oferecido pela firma ao que você acredita como princípios.

Um bom exemplo para uma empresa da área de educação é dizer que sempre foi apaixonado por assuntos educativos e que a corporação tem feito coisas incríveis neste ramo.

11 – Por que devemos contratar você?

Essa é outra das perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego. E, apesar de deixar muita gente com receio, não é muito difícil respondê-la. Para isso, a primeira dica é mostrar que é a pessoa certa para aquela vaga, mas sem falar apenas que é capaz de executar o trabalho. Em vez disso, diga que é o profissional ideal para trazer excelentes resultados na área e está totalmente alinhado à cultura da empresa.

Outra dica é recorrer ao anúncio de emprego no qual ficou sabendo da vaga para mostrar que sabe de todos os requisitos necessários para o cargo e em quais deles você tem mais experiência, destacando no discurso especialmente as funções mais importantes para executá-lo.

12 – O que o (a) diferencia dos outros candidatos?

Essa é uma daquelas perguntas que faz um candidato gaguejar em uma entrevista de emprego, caso não chegue preparado para respondê-la. Portanto, prepare-se fazendo uma avaliação pessoal e profissional do seu perfil, comparando-o às exigências descritas no anúncio da vaga.

Mais uma vez, é ideal você estar com todas as informações sobre os requisitos do cargo e o seu currículo na ponta da língua. Para tentar se destacar dos demais candidatos, a dica é recorrer às suas melhores soft skills (competências sociais e comportamentais enquanto profissional) ou até mesmo às hard skills (competências técnicas).

Possui alguma formação especial? É expert em alguma tarefa exigida para o cargo? Então, essa é a hora de falar!

13 – Por que deixou o emprego anterior?

Para esta pergunta é preciso ser bastante cauteloso na resposta. Afinal, apesar de existirem vários motivos reais para que alguém deixe um emprego para procurar outro, tais como um chefe “mala”, ambiente de trabalho ruim, salário baixo ou atrasado ou a própria insatisfação com o cargo, entre outros.

No entanto, falar sobre quaisquer desses fatores podem colocar em risco a sua imagem, já que o recrutador pode entender que você pode fazer o mesmo futuramente com a empresa a qual possivelmente pode estar te contratando para o cargo em questão.

Em vez disso, tenha em mente que melhor que se queixar da empresa anterior é optar por falar simplesmente que no antigo emprego não houve espaço para crescer profissionalmente ou obter a chance de novos desafios. Também não é má ideia ressaltar nesse momento os seus pontos fortes. Enfim, qualquer das opções que optar por dizer ao entrevistador, o mais importante é não atacar ninguém e nenhuma empresa.

14 – Por que foi demitido (a) ou se demitiu?

Outra pergunta que costuma deixar a maioria dos candidatos suando frio em uma entrevista de emprego é “por que você foi demitido?”. No entanto, se você for astuto, pode reverter o constrangimento e transformá-lo em uma oportunidade em seu favor.

Para isso, a primeira coisa que você deve evitar é falar mal dos empregos anteriores, como já falamos anteriormente. Além disso, tente não reclamar demais. Ninguém gosta de trabalhar com pessoas que reclamam o tempo todo – e o recrutador, com certeza, avaliará o seu comportamento neste sentido no momento da entrevista.

Em vez disso, pense em contextualizar o motivo pelo qual saiu da empresa antiga, sem se mostrar irritado com a situação, e optando por dizer que desempenhou papeis importantes na firma em questão e que trouxe excelentes resultados ao setor e área de atuação no mercado.

Aproveite também para falar sobre o que aprendeu com a demissão, associando o aprendizado a um novo comportamento que pode ser aplicado dentro da próxima empresa em que irá trabalhar.

15 – Qual foi a sua maior conquista no trabalho?

É uma questão para se pensar bastante antes sair de casa para chegar preparado para a conversa com o recrutador. Para isso, você pode optar por falar das suas conquistas profissionais mais recentes, aquelas em que você observou bons resultados para as empresas em que trabalhou, seja em relação à produtividade, parcerias que conseguiu, vendas, entre outros pontos.

O único cuidado é para que você evite falar de algum feito muito antigo, pois isso dará margem para que o entrevistador questione porque passou tanto tempo sem conseguir outra conquista desde então.

16 – Qual é o emprego dos seus sonhos?

Além de tentar verificar se você se enquadra no perfil da empresa, o recrutador também deseja testar a sua criatividade ao fazer essa pergunta. Para corresponder à expectativa dele com êxito, a dica é observar e perceber o tom da conversa com o entrevistador.

Se o diálogo estiver tomando um rumo mais bem humorado, você pode optar por dar uma resposta mais criativa. Caso contrário, o ideal é dar uma resposta mais objetiva, relacionando diretamente os seus objetivos profissionais à vaga em questão.

No primeiro caso, você pode dizer, por exemplo, que gostaria de trabalhar de frente para o mar, se o trabalho for feito via internet. Já para respostas mais sérias e ligadas diretamente ao cargo ao qual está concorrendo, a dica é mostrar o quanto a vaga combina com os seus interesses profissionais e pessoais, citando cada um deles.

17 – Qual foi o último livro que leu?

Essa pergunta é bem simples, mas ajuda o recrutador a entender a sua personalidade a partir dos seus gostos e, ainda, avaliar se eles competem com o cargo que está sendo ofertado pela empresa. Portanto, busque as suas melhores referências de leitura, isto é, aquelas que realmente contribuíram para a sua formação profissional ou pessoal de alguma forma.

E mais importante que citar quais foram as obras que leu é falar sobre ele ao entrevistador fazendo uma análise de cada uma delas, sintetizando a visão ou objetivo dos livros.

E atenção: mencionar livros muito populares pode não trazer vantagens para você em relação aos demais candidatos à vaga. Ao contrário disso, dependendo do livro que citar, você pode acabar passando uma imagem pouco adulta ou inteligente.

18 – Qual animal você gostaria de ser?

Essa pergunta é clássica e muito comum em entrevistas de emprego de todas as áreas. Ela tem o objetivo principal de averiguar a personalidade do candidato, a partir da associação das características principais do animal escolhido às características negativas e positivas da pessoa que está sendo entrevistada.

Por isso, para respondê-la, você deve escolher um animal que tenha habilidades que você acha que combinam com as suas. Por exemplo, se você falar que gostaria de ser uma formiga, você pode justificar a escolha argumentando que esse inseto é muito trabalhador, adora trabalhar em equipe e costuma se planejar (junta comida para o inverno).

Ou se você disser que seria um cachorro, poderia mencionar a lealdade, defesa e faro deste animal às suas características profissionais, demonstrando o quão leal à empresa e atento aos negócios você poderia ser ao ser contratado para o cargo em questão.

Se você quiser ir preparado para a conversa com o entrevistador, pode procurar na internet uma lista de animais perfeitos para citar em uma entrevista de emprego e suas principais qualidades.

19 – Me vende essa caneta…

Não é exatamente uma pergunta, é claro, mas uma estratégia que se tornou bastante popular em entrevistas de emprego depois da cena clássica do famoso filme “O Lobo de Wall Street” e pode ser a aposta de muitas empresas da área de vendas. Portanto, se esse é o seu caso, já vai preparado…

E uma das dicas para se sair bem nessa fase do processo seletivo é responder fazendo outras perguntas ao recrutador, tais como:

  • Gostaria de ter uma caneta certa para você?
  • O que significa ter uma caneta de qualidade para você?
  • Há quanto tempo você pensa em ter uma caneta?

Ou, ainda, você pode criar duas situações diferentes para embasar a sua resposta. A primeira é usar a estratégia emocional para associar a importância dela para o entrevistador e o produto em si. Por exemplo, tendo em mente que ele a utilizou para assinar importantes negócios e decisões, você pode tentar argumentar que, apesar de ser um item barato, ele tem grande valor sentimental para a pessoa e que, para vendê-la, será necessário uma pechincha.

Além disso, você tem a opção de apostar na segunda situação, na qual você focará exclusivamente urgência da caneta, ou seja, em como ela é essencial no dia a dia de uma pessoa e, mais ainda, de um empresário. Neste sentido, para vender a caneta, você pode argumentar, por exemplo, sobre o quanto ela é importante para assinar papeis, escrever um nome ou anotar um número de telefone, criando um problema que seria causado pela falta deste item e já mostrando uma solução, que seria comprá-lo. Enfim, seja criativo!

20 – Qual a sua pretensão salarial?

Apesar de todo mundo já focar especificamente no salário ao se deparar com essa pergunta em uma entrevista de emprego, o que pouca gente sabe é que o entrevistador está querendo saber muito mais do que o valor da remuneração que você estaria satisfeito ao ser contratado para a vaga ofertada pela empresa.

Além dessa questão, ele também está procurando avaliar quais outros quesitos você estaria disposto a negociar dentro de uma proposta de emprego, tais como horário de trabalho, tarefas a serem executadas, férias, benefícios e até o treinamento. E não tenha medo de parecer ganancioso, desde que saiba negociar e argumentar na medida certa.

Você pode negociar um horário que seja mais flexível para você ou pode pedir mais projetos e tarefas para desenvolver dentro da empresa, entre outras coisas. Só não vale usar frases como “Não aceito se não for assim” ou “Não faço o trabalho por menos que isso”. Mostrando que é um bom negociador, mas sensato, você pode ganhar alguns pontos com o entrevistador.

21 – Você já liderou antes?

Nesta fase da entrevista, você não precisa responder necessariamente que exerceu um cargo de chefia em alguma empresa, se isso não tiver acontecido ainda durante a sua carreira profissional. Na realidade, você pode focar em contar ao recrutador quais foram as situações em que você teve que tomar postura de liderança em alguma empresa.

Sendo assim, você optar por relacionar determinada situação à vaga em questão, falando sobre as suas qualidades e habilidades ao gerenciar projetos, por exemplo, destacando os malabarismos que teve que fazer para atingir determinados resultados, liderando uma equipe de ponta a ponta.

22 – Qual é o seu estilo de gestão?

Responder à essa pergunta é como dar continuidade à pergunta anterior. E, ao citar as situações em que você exerceu liderança, você pode mostrar ao recrutador quais foram as situações que você precisou gerenciar pessoas ou projetos. Você pode citar, por exemplo, quando conseguiu aumentar uma equipe de 5 para 15 pessoas ou treinou um funcionário com baixo rendimento e o tornou o melhor vendedor da empresa onde trabalhava.

O mais importante ao responder essa pergunta é demonstrar que você é um gestor forte, mas que é flexível, ao mesmo tempo. Afinal, ninguém quer um líder muito rígido para gerir os seus funcionários e tornar o ambiente de trabalho ruim.

23 – O que os seus ex-colegas e ex-chefe diriam sobre você?

Assim como durante toda a entrevista de emprego, o ideal na hora de responder essa pergunta é tentar extrair o máximo de características e qualidades fortes que você ainda não tenha falado sobre você ainda com o recrutador.

Disposição para participar de outros projetos fora da sua função quando necessário ou ética no trabalho são fatores que você pode mencionar para passar boa impressão durante a conversa.

24 – Por que decidiu mudar de carreira?

O segredo para responder a essa pergunta é ser honesto, mas com cuidado para não falar mal da carreira anterior. Em vez disso, tente mostrar o quanto a experiência anterior foi crucial para você chegar à nova função.

Aproveite para surpreender o recrutador contando como a sua nova carreira está associada, de certa forma, a sua nova escolha profissional.

25 – Por que ficou sem trabalhar por tanto tempo?

No caso de existir uma lacuna no seu currículo entre um emprego e outro, pode ser que essa pergunta surja durante a entrevista com o recrutador. Afinal, esse espaço no currículo pode pegar mal se não for bem explicada.

Portanto, se você está sem trabalhar há algum tempo, tente mostrar durante essa conversa que você não ficou parado.

Conte o que você aproveitou para fazer durante esse período desempregado, tais como cursos, trabalho voluntário, blogs, dando aulas, estudar, cuidar de um parente, etc. Não deixe de mencionar nada, porque tudo isso é importante para mostrar ao entrevistador que você é uma pessoa proativa.

26 – Você já chegou a discordar de alguma decisão de trabalho? Como reagiu?

Com esse questionamento, o recrutador deseja verificar se você é um funcionário que consegue discordar das decisões do chefe ou outro colega de trabalho de forma profissional e produtivo, em vez de falar mal de determinada gestão ou empresa. Então, conte as situações em que você precisou discordar no trabalho, mas propondo sempre uma ideia mais eficiente que levasse a um resultado melhor.

27 – Você não acha que é qualificado (a) demais para essa vaga?

Esse momento da entrevista de emprego deixa muitos candidatos com a “pulga atrás da orelha” por não entenderem o que o recrutador quer saber com ela, de fato. Afinal, não seria melhor ter um funcionário mais qualificado – mesmo que em nível mais vantajoso em relação aos requisitos da vaga – do que um menos apto a assumi-la? Nem sempre!

Quando o entrevistador faz essa pergunta, ele quer medir o quanto o profissional em questão pode se mostrar desinteressado pelo trabalho ao longo do tempo. Isto é, no começo, ele vai estar satisfeito com a vaga, por ser algo novo na rotina, mas por quanto tempo ele se manterá interessado pelo cargo e pela empresa? E mais: quem irá garantir que ele não abandonará o emprego na primeira oportunidade melhor que surgir?

Portanto, não caia nessa pegadinha! Para responder bem a essa pergunta, responda de forma que deixe o recrutador seguro em relação à sua contratação, ou seja, que ele não precisará ter receios, já que você se sentirá feliz em trabalhar no cargo e empresa em questão.

Se for o caso, mostre que, mesmo sendo sobrequalificado para a vaga, você vê outras vantagens para trabalhar na firma além das funções em si, como por gostar especificamente da firma ou por ter a chance de trabalhar mais perto de casa, por exemplo.

28 – Você tem alguma pergunta?

Ao fim da entrevista de emprego, você pode se deparar com essa pergunta, que é uma ótima oportunidade para você se destacar e dar a “cartada final” antes de deixar a conversa com o recrutador.

Neste momento, você tem a chance de mostrar que prestou atenção nas informações que ele te passou no decorrer da entrevista e, ainda, que pesquisou bastante e tem interesse real em trabalhar na empresa e exercer aquele cargo.

Portanto, tente fazer perguntas menos óbvias. Em vez delas, opte por focar em questionamentos construtivos e realmente interessantes, como em relação ao crescimento da firma, por exemplo.

Faça perguntas como “Como andam os planos de crescimento da empresa?” ou, ainda, se a área for de vendas, por exemplo, “Vocês têm alguma previsão de lançamento de produto?”.

Conclusão

Por fim, se você estudar bem essas perguntas e respostas mais comuns e seguir todas essas dicas que nós mostramos aqui para se dar bem durante uma entrevista de emprego, é possível transformar esse momento que todo mundo tem medo em algo menos assustador e se tornar um profissional autoconfiante e com mais credibilidade no mercado de trabalho.

Para isso, é só deixar de lado as desculpas que você deu para si mesmo até hoje para não ter sido aprovado em um processo seletivo! Afinal, se você quiser mesmo conquistar o emprego dos sonhos e uma carreira brilhante, precisa aprender a se preparar para esse primeiro passo, que é a entrevista de emprego.

Esperamos ter te ajudado com esse artigo…

Boa sorte e até a próxima!

Compartilhe este artigo!
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *