Como fazer um currículo para primeiro emprego?

A hora de fazer um currículo para primeiro emprego costuma deixar muitas pessoas nervosas. Não é sem motivo: quanto menos experiências temos, mais comum é termos inseguranças a respeito daquele assunto.

A verdade, no entanto, é que seu currículo precisa ser claro e objetivo, sem exageros e sem erros. Para isso, seja para fazer um currículo para primeiro emprego ou para quem já tem experiência, não é preciso muito mais do que bom senso e organização.



Se essa é a busca pelo seu primeiro emprego, entenda que você precisará valorizar alguns aspectos em especial de sua trajetória, para não parecer que sua experiência é irrelevante. Isso não significa mentir – pelo contrário: é uma forma de mostrar que você sabe trabalhar com os recursos que possui.

No que focar para o primeiro currículo?

Ao fazer um currículo para primeiro emprego, não adianta inventar sobre uma longa trajetória profissional. Também não é exatamente útil fazer uma longa explicação sobre experiências pouco importantes como se fossem realmente valorizar seu currículo.

O foco deve ser dado para questões relevantes para aquele cargo. Você fala alguma língua? Possui alguma experiência em atividades semelhantes? Já estudou sobre o assunto? O currículo perfeito é aquele que está adequado para a vaga em questão.

Valorize seus pontos fortes

Embora esse pareça um conselho clichê, é muito comum que as pessoas o sigam da maneira errada. Muitas vezes, entendemos “pontos fortes” como “aquilo que costumamos fazer bem”. Embora essa seja uma definição adequada, o que você realmente precisa ter em mente como pontos fortes é “aquilo que fará você mais atrativo para o contratante”.

Mesmo que você tenha habilidades excepcionais com a guitarra, é improvável que essa seja uma habilidade relevante para um cargo em um escritório, por exemplo. Por isso, esse definitivamente não é o ponto forte que você está querendo destacar.

Você quer destacar, por outro lado, seus pontos fortes em experiências anteriores, em trabalhos voluntários, participação de movimentos e etc.

Não exagere nas referências educacionais irrelevantes

Ao fazer um currículo para primeiro emprego, um dos erros mais comuns das pessoas é tentar compensar a falta de experiência com outras partes do currículo. A estratégia não é ruim, mas é necessário ter bom senso ao escolher o que destacar.

Há pouca relevância você dizer onde completou seu ensino básico, seu ensino fundamental e seu ensino médio, por exemplo, a menos que isso seja solicitado. Faculdade, cursos adicionais e, até mesmo, cursos de curta duração que digam respeito a habilidades relevantes para o cargo são as referências realmente úteis.

Não invente

Inventar é a pior coisa que você pode tentar ao fazer um currículo para primeiro emprego. Pense bem em quem tem mais chances de chegar ao objetivo: você, que acabou de inventar uma mentira, ou a pessoa especializada em entrevistar candidatos, que identifica mentiras deste tipo recorrentemente?

Inventar coisas em seu currículo pode até ajudar a destacar seu nome, mas leva muito pouco tempo para que a mentira seja descoberta, e isso certamente acabará com suas chances de maneira quase imediata.

O que não colocar no currículo para primeiro emprego?

Além de saber como fazer um currículo para primeiro emprego, é importante considerar os fatores que você simplesmente não deve colocar. Entre eles, destacam-se:

Foto

Muitas pessoas tem o hábito de colocar a foto no currículo. Só faça isso se ela for solicitada pelo empregador. Caso contrário, ela provavelmente prejudicará sua imagem mais do que auxiliará.

Informações pessoais exageradas

E-mail e telefone são informações importantes em seu currículo. Endereço, CPF, RG, nome dos pais e outros dados que não digam respeito a contatos para aquele processo seletivo são totalmente desnecessários. O currículo não é a documentação que será utilizada para o seu cadastro na empresa, é apenas uma reunião de dados para a seleção.

Habilidades que não dizem nada

Ser proativo, perfeccionista e ser muito atencioso podem até ser características suas, mas não fazem parte do seu currículo. Não coloque esse tipo de habilidade genérica em sua porta de entrada para um emprego, pois elas não ajudarão em nada.

Compartilhe este artigo!
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *