O que é Esquerda e Direita na Política?

Falar sobre o que é esquerda e direita na política atual é um tema complexo, que não apresenta uma definição tão a concreta quanto a maior parte das pessoas interessadas em discutir o assunto parece ter certeza de que realmente é.

O uso de esquerda e direita na política possui uma origem histórica completamente distintas do que se utiliza atualmente, e as terminologias genéricas foram mantidas até hoje por uma questão habitual. A verdade, no entanto, é que tanto a direita quanto a esquerda apresenta matrizes teóricas internas muito variadas, que podem até mesmo conflitar fortemente entre si.

Por isso, entender o que é esquerda e direita na política atual envolve, sobretudo, saber que estes termos foram historicamente construídos e, hoje, servem apenas como uma vaga definição sobre alguns posicionamentos básicos, sem uma real validade de determinar as crenças de cada indivíduo.

Quando surgiram os termos esquerda e direita na política?

Falar que certa ideologia é de esquerda, ou que outra é de direita, é um uso terminológico que remonta a Revolução Francesa, ainda no século XVIII. Logo após a Revolução, a retirada da monarquia do poder deu espaço para a criação de uma nova Constituição, que teria a participação das diferentes camadas sociais existentes na França.

A destituição da monarquia, no entanto, era o fator de união entre a burguesia e as camadas mais pobres da população. Quando os dois grupos alcançaram seu objetivo e precisavam criar a nova carta política do país, houve uma segmentação. Os burgueses mais conservadores optaram por sentar-se à direita das vagas da Assembleia Constituinte. Os representantes de trabalhadores e camponeses, por sua vez, sentaram-se à esquerda.

Por isso, iniciou-se um processo de associação entre os políticos da esquerda e uma luta por causas sociais e bem-estar coletivo, enquanto os políticos à direita buscavam uma manutenção mais conservadora do Estado, em prol daqueles que já detinham certos benefícios e pretendiam mantê-los e fortalecê-los.

Em certa medida, por outro lado, entendeu-se que aqueles que sentam à esquerda são os que fazem oposição ao status quo vigente, enquanto os que sentam à direito são aqueles que buscam a manutenção de certas características. Hoje, estes conceitos são utilizados de formas distintas, e não necessariamente conectadas plenamente a essas origens.

Esquerda e direita na política: o que buscam?

Como já mencionado, nem esquerda nem direita significam uma única coisa no contexto político, mas existem algumas diretrizes que são geralmente ligadas a essas correntes. Quando falamos em esquerda, por exemplo, geralmente fala-se em movimentos sociais e preferências por políticas diretamente relacionadas à valorização e proteção social.

Em alguns casos, isso pode representar correntes socialistas ou comunistas, ou – em outros – simplesmente partidos que creem nos benefícios de um forte Estado de Bem-Estar Social.

Por outro lado, a direita geralmente está relacionada a liberalismo ou neoliberalismo, com a redução da participação do Estado, a garantia de direitos e liberdades individuais e a redução da interferência estatal em assuntos públicos, dando espaço à supremacia individual neste processo.

Há, ainda, movimentos conservadores, que geralmente são ligados à direita em função de sua perspectiva de manutenção do status quo vigente. É importante entender, no entanto, que movimentos liberais e conservadores relacionam-se apenas no que diz respeito à manutenção de certos estatutos vigentes, mas são essencialmente diferentes em boa parte de suas crenças.

Compartilhe este artigo!
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *