Existe politico honesto?

Muita gente pode estar se perguntando se de fato existe político honesto – mas, antes mesmo de concluir esse questionamento, é importante refletir sobre um outro muito importante: um país com governo que seja corrupto em geral não pode ter uma população honesta!

Essa perspectiva faz parte de um dos inúmeros e pontuais discursos de Leandro Karnal, historiador da Unicamp, em São Paulo.

Quer que a politica seja honesta e mesmo corrupta também deve fazer parte da reflexão da população! Será que você é um membro que contribui para que a política seja honesta?

Constantemente estamos sempre questionando a conduta e o caráter que membros políticos que se envolvem em diversos esquemas de corrupção, mas a postura adotada por parte dos governos também pode refletir a nossa sociedade de uma maneira geral, sabia?

O fato é que existe um forte e incansável interesse do coletivo sobre esse tipo de tema na atualidade, principalmente por conta do atual momento que o país está passando – será mesmo que não existe político honesto? Onde estamos errando?

Mas, não é somente de críticas quanto à ética em Brasília e até mesmo de grandes empreiteiras que se revela a face carente do Brasil. Há uma constatação bastante evidente que nós como sociedade estamos deixando de refletir.

É preciso refletir sobre a ausência de ética em outros aspectos sociais, como nas escolas, nas empresas e até mesmo no âmbito familiar.

Existe político honesto – como estamos enxergando a nossa democracia?

O atual cenário brasileiro é no mínimo critico! Existe uma forte deturpação do que pode ser um político honesto e imparcial de um forte apelo populista que têm permeado a vida da sociedade!

Um erro bastante comum da atual sociedade brasileira pode ser associado ao desejo quase que fulminante de querer resolver todos os problemas do país de forma quase que drástica.

O ponto é que todo esse empenho pode fadar o país a mais um rumo de fracasso e ausência de boas práticas sociais! Inclinar todos os anseios e necessidades em figuras políticas com fórmulas imediatistas sem o critério de tratar a raiz dos problemas é um dos erros que permeia a nossa história, infelizmente!

A política no país tem construído um cenário de guerra – interesses pouco são discutidos, apenas apelos de posicionamentos e lutas partidárias! O foco sempre acaba sendo guerra de lados e partidos, mas não avaliação de proposta política!

E o resultado disso? Uma onda populista e ausência de práticas realmente eficientes para aspectos básicos que deveriam ser melhor cuidados, como saúde, educação e recursos para diminuição da desigualdade social!

 

E qual o caminho? Como se pode obter uma classe de políticos honestos

A honestidade é algo que pode ser transmitido de forma ativa, desde que ela seja de fato praticada!

Uma sociedade que clama pela existência de políticos honestos também precisa ter uma conduta voltada para esse aspecto!

A participação assídua das massas não pode garantir que ocorra uma lisura acerca dos processos, principalmente quando exercitamos um pouco a memória e avaliamos nossa história.

Se formos ainda mais longe, levando em conta o aspecto religioso (algo que tem se misturado muito ao âmbito político, mesmo que sejamos parte de um país laico) nos permite avaliar isso mais de perto.

Quando Jesus foi crucificado, foi justamente a massa que teve que escolher entre ele e um ladrão – e foi a massa que optou pelo ladrão! Diante disso, como a massa poderia orientar que é o político honesto ou não? Talvez esse seja o principal ponto de reflexão que todos nós precisamos fazer.

A perspectiva se existe político honesto acaba sendo um fator praticamente individual nos dias atuais, principalmente porque a tratativa da democracia está passando por um período bastante nocivo – muita gente está disposta a falar sobre política, mas poucas estão dispostas a ouvir.

Logicamente que a nossa atual realidade permitiu que mais pessoas tenham voz para evidenciar seus anseios e posicionamentos perante a democracia, mas o problema é justamente como esse discurso acaba sendo simplesmente ignorado ou gera conflitos.

O país está há muito tempo dividido entre diversos partidos, que manifestam diferentes posicionamentos, mas que diante de uma luta de poder facilmente declaram alianças, colocando de lado a sua ênfase de sua conduta política!

Isso poderia ser facilmente entendido como desonesto, mas na luta por uma vitória é a própria sociedade que compra essas brigas e não se atenta a esse fator.

Aceita-se muito fácil o discurso de solução imediatista, a perspectiva de liderar para alguns, a promessa de uma economia mais consistente, mas, em contrapartida esquecemos que nós é que fazemos a economia girar.

E diante da constatação de um país desigual, conseguir consolidar essa ideia de que todos precisam se unir em prol de um mesmo projeto acaba sendo anulado por posições partidárias e interesses próprios!

 

Mas, então? existe político honesto no Brasil?

A resposta não pode e nem deve ser padronizada, mas logicamente existem muitos políticos que se preocupam de fato com a população, que não se apoiam em seus mandatos somente de olho no seu bem estar e que não enxergam a política em si como uma profissão!

O que falta nos dias de hoje é nos inclinarmos de forma mais manda sobre a nossa história, porque ela sim ajuda orientar de forma mais concreta todos os privilégios, erros e histórico de desonestidade dos nossos políticos.

Além disso, é preciso que cada membro da população procure fazer uma auto avaliação sobre a sua conduta – não querer político desonesto deve ser algo que tenha a ver com os precedentes que são criados no âmbito social.

Se você é uma pessoa que fura fila no banco, que segue com seu carro pelo acostamento, que tem comportamentos preconceituosos, que não respeita regras simples em seu condomínio, e outros comportamentos, como poderá questionar se existe político honesto?

Compartilhe este artigo!
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *