Como fazer uma boa descrição de cargos?

No mundo de gestão de pessoas, é comum que a tarefa de fazer uma boa descrição de cargos seja interpretada como um aspecto puramente formal, para evitar que os cargos fiquem sem nenhuma indicação teórica do que é esperado deles.

Este é um erro muito comum: assumir que as pessoas simplesmente saibam o que fazer a partir de uma definição genérica de suas atribuições. Na prática, uma boa descrição de cargos influencia na segurança do trabalhador a respeito de suas responsabilidades e limites, além de permitir seu correto posicionamento dentro das atividades de uma empresa.

Se você pensa que fazer uma boa descrição de cargos resume-se a definir as posições da forma mais rápida e prática possível, talvez seja hora de mudar de ideia. Confira a importância e os passos necessários para que a descrição tenha a qualidade digna de uma empresa bem estruturada:

No que consiste um descrição de cargos?

A descrição de cargos é um documento escrito, com valor e aspecto formal, determinando quais são as responsabilidades, limites, requisitos e tarefas atribuídas a cada um dos cargos existentes em uma organização profissional.

Ela possui fins legais, informacionais e de atuação, devendo sempre corresponder à realidade. Uma descrição imprecisa dos cargos pode gerar, ao mesmo tempo, a realização inadequada de tarefas e insegurança jurídica para a empresa, em ocasiões mais graves.

É importante considerar que uma boa descrição de cargos não é definitiva ou fixa. Ela deve vigorar enquanto corresponder à realidade. Na medida em que as atribuições de um cargo modificam-se, é necessário atualizar sua descrição.

Quando uma boa descrição de cargos faz-se mais evidente?

Existem várias situações cotidianas nas quais uma boa descrição de cargos poderia gerar resultados diferentes. Há, no entanto, algumas situações em que ela é essencial. Imagine, por exemplo, como seria um processo de recrutamento sem uma descrição precisa dos cargos.

Tanto os candidatos quanto os recrutadores podem enganar-se, neste caso. É possível, até mesmo, que uma pessoa com perfil inadequado para a vaga seja contratada em detrimento de outra que teria atuação perfeita, mas uma descrição incorreta levou os recrutadores a realizar tal ação.

Outro caso muito comum em empresas é o famigerado momento do feedback. Você se surpreenderia se soubesse a quantidade de situações em que a gerência faz uma avaliação negativa sobre um funcionário, apontando erros que cometeu e tarefas esperadas que ele não realizou, e a resposta do trabalhador é simplesmente dizer que nunca foi comunicado a respeito dessas expectativas.

Isso porque fazer uma boa descrição de cargos vai além da formalidade: é uma questão de comunicação, especialmente em grandes organizações, onde o processo decisório costuma estar longe de quem executará a ação decidida.

O que deve conter em uma boa descrição de cargos?

Uma boa descrição de cargos geralmente segue alguns itens lógicos, que devem ser claros e objetivos. Obviamente, é necessário iniciar pela identificação do cargo – e, já neste aspecto, é importante pensar com cuidado. Atualmente, é comum que nomes fantasiosos sejam criados sem uma conexão clara com a função. Evite este tipo de erro, fazendo com que a nomenclatura realmente auxilie a identificar o cargo.

Após a identificação, é necessário informação qual a posição daquele cargo dentro do organograma de empresa, ou seja, qual o posicionamento hierárquico, a quem responde, quem deve responder a ele e qual seu campo de atribuição.

É importante, também, que a descrição contenha a missão, ou objetivo principal, daquele cargo dentro da organização. Ela deve definir o que o funcionário que ocupa aquele cargo deve alcançar no desenvolvimento de suas tarefas.

As atividades a serem executadas também são fundamentais para uma boa descrição de cargos, bem como o tipo de treinamentos necessários para sua correta execução. Para descrições de seleção de emprego, os requisitos também devem ser informados, com tipo de formação, tempo de experiência e outras informações relevantes.

Compartilhe este artigo!
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *