Socialismo: história, características e vertentes

Em tempos de extremismos políticos, é muito comum que a desinformação a respeito de correntes políticas e econômicas, como o socialismo, torne-se um problema para a real discussão de ideias elaboração de pensamentos.

Seja você simpático ou avesso à ideia do socialismo, é necessário considerar que o conhecimento a respeito de um tema é a única forma de poder debatê-lo. Entender o socialismo envolve saber que existem diferentes correntes para que se possa chegar aos seus ideais, além de conhecer sua perspectiva histórica e evolutiva.



De maneira geral, o socialismo foca em um valor principal: a igualdade. Este é o ponto pacífico para as diferentes correntes socialistas, que enxergam uma sociedade igualitária como o ideal a ser alcançado.

Entenda como essa corrente de pensamento foi formada, e as principais correntes socialistas da atualidade:

Breve história do surgimento do socialismo

Assim como a maior parte das correntes teóricas modernas, o ponto de origem do socialismo é a revolução industrial. O processo da revolução industrial gera uma etapa econômica na Europa chamada de capitalismo industrial, muito mais especializado e eficiente em relação à produção.

A geração de riquezas, no entanto, era altamente concentrada em uma burguesia que precisava da mão de obra para executar as atividades que faziam os meios de produção funcionarem. Com uma crescente população urbana em estado de miséria, era possível que os trabalhadores fossem cada vez mais exigidos no trabalho, sob o risco de serem substituídos.

Neste cenário, a distância entre o burguês detentor dos meios de produção e o proletário que os operava era cada vez maior, com lucros cada vez mais concentradas. Ao mesmo tempo em que a distância aumentava, os trabalhadores tornavam-se menos aptos a alcançar oportunidades – uma vez que recebiam cada vez menos e trabalhavam cada vez mais.

Frente a tal situação, especialmente na França e na Inglaterra, teorias sociais que buscavam reduzir essa disparidade começaram a se desenvolver. Nomes como Robert Owen, Saint-Simon e Charles Fourier destacaram-se como criadores de teorias que seriam organizadas, posteriormente, como socialismo – uma corrente em busca da igualdade em detrimento do crescimento desenfreado de alguns às custas de muitos.

Correntes socialistas

Embora seja comum associarmos socialismo e marxismo, o materialismo histórico é apenas uma corrente socialista. Os autores mencionados no tópico anterior, por exemplo, são anteriores a Marx e já desenvolviam o que se pode chamar de socialismo. Por isso, há duas correntes especialmente importantes para o desenvolvimentos destas teorias:

Socialismo Utópico

Essa é a corrente surgida ainda dentro do contexto de revolução industrial, apontando para Saint-Simon como seu criador original. Foi o primeiro autor a apontar as formas de dominação social como uma maneira de exploração a ser combatida para que a igualdade pudesse ser alcançada.

Fourier e Owen, por sua vez, imaginavam comunidades independentes que vivessem de maneira distinta do sistema principal que se formava, de formas menos díspares. A dificuldade de aplicação destas ideias e o objetivo de se alcançar as melhorias sem um rompimento estrutural, no entanto, levaram à posterior nomeação deste grupo de pensadores como socialistas utópicos.

Socialismo Científico

Quase um século após os socialistas utópicos, consolidou-se – através dos pensamentos de Marx e Engels – o que se chama de socialismo científico. Trata-se de uma elaborada corrente acadêmica que dá especial atenção ao desenvolvimento histórico da exploração e das lutas de classe.

A intenção desta correte é demonstrar o constante conflito causado pela desigualdade – no caso das sociedades capitalistas, pelo acúmulo e pela exploração. Para essa corrente, a solução está no rompimento estrutural do capitalismo, destruindo-se em prol do poder dos até então oprimidos que instauraria o fim da classes e da propriedade individual. O resultado desta corrente seria o desenvolvimento de uma sociedade igualitária e não conflituosa.

Compartilhe este artigo!
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *