Ministério do Planejamento: o que faz?

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, é um dos ministérios que também pertence ao poder executivo do Brasil e sua objetivo é planejar a melhor forma de administra o governo, planejar os custos, analisando a viabilidade de projetos, controlando também os orçamentos, tendo a propriedade de liberar fundos para os estados e projetos do governo.

História

O Ministério do Planejamento, foi criado em 1962, no governo de João Goulart, e foi fechado pouco mais de um ano após sua abertura, no dia 31 de março de 1964, pelo motivo de ter sido o único ministro deste período Celso Furtado, criou o programa denominado como Plano Trienal. E alguns meses depois de sua criação, foi reaberto, já no governo de Castello Branco, tem como seu primeiro ministro o então Roberto Campos e seu primeiro programa foi o Programa de Ação Econômica do Governo.

Áreas em que o ministério atua

As áreas em que o Ministério do Planejamento é atuante é na participação na formulação do planejamento estratégico nacional, na avaliação dos impactos socioeconômicos das políticas e programas do Governo Federal e na elaboração de estudos especiais para a reformulação de políticas mal sucedidas, faz a realização de estudos e pesquisas para acompanhar o fator socioeconômico e a gestão de sistemas estatísticos do Estado.

Além disso, elabora e acompanha a avaliação de leis por iniciativa do Poder Executivo do Brasil, viabiliza novas fontes de recursos para os planos governamentais, coordena também a gestão de parcerias público-privadas, faz a formulação de diretrizes e coordena negociações, acompanhando e avaliando os financiamentos externos de projetos públicos com organismos multifuncionais, coordena o planejamento e o orçamento federal, de pessoa civil, de administração de recursos da informação e também da informática e serviços gerais, bem como a formulação de diretrizes, a modernização administrativa do Governo Federal, coordena critérios de governança corporativa e empresas estatais, e um dos principais a administração patrimonial, modernizando estas diretrizes.

O ministro

O ministro de estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão é Esteves Pedro Colnago Junior, natural da cidade de Manaus (AM), é economista, mestre em Ciências Econômicas pela Universidade de Brasília e especialista em Contabilidade Pública. De 1996 a 1998, desempenhou a função de Analista de Finanças e Controle na Secretaria do Tesouro Nacional. É Analista do Banco Central do Brasil desde 1998

Ministério do Brasil

Abrangendo mais um pouco o assunto é interessante saber um pouco sobre toda a organização que está por trás dos ministérios, sendo denominados como ministérios do Brasil. Estes órgãos são do poder executivo do Brasil e, desde fevereiro, de 2018 são formados por 23 ministérios, duas secretarias e quatro órgãos que equivalem a ministérios. Como visto, cada ministério tem suas responsabilidades e tem sua área de administração e é liderado por um ministro e cada mandato dos ministros são de quatro anos.

Execuções e diretrizes

Dentre todos os ministérios e suas respectivas autarquias, que é o comando de si próprio, que compõe também o Governo Federal, sendo o mais antigo o da Justiça, criado pelo príncipe regente Dom Pedro, denominado como Secretaria de Estado de Negócios da Justiça. Os ministros que ali estavam, auxiliavam o Presidente da República no exercício do Poder Executivo, um exemplo para entender melhor o papel dos ministros do Brasil é, por exemplo, em alguma relação exterior, quem auxiliará o Presidente será o Ministro das Relações Exteriores.

Os ministérios também podem elaborar normas, e também acompanham e avaliam os programas federais do Brasil, formulando assim políticas para os setores que os representam, sendo encarregados de estabelecerem estratégias e diretrizes no momento da aplicação dos recursos públicos.

Compartilhe este artigo!
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *